4.9.06

Lei do Curta

Às vésperas do início do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, o Ministério Público enviou à Agência Nacional do Cinema uma recomendação para que ela volte a regulamentar, num prazo de 90 dias, a antiga Lei do Curta, legislação de 1975 que obrigava as salas de cinema a exibirem, antes de cada sessão de filme estrangeiro, um curta-metragem nacional.
Trata-se de uma possibilidade extremamente interessante para um segmento que realiza mais de 200 filmes por ano (considerando-se apenas aqueles produzidos em 35mm) e que hoje é vítima de uma quase invisibilidade, tendo sua difusão restrita a festivais e mostras específicas para o formato. Apesar disso, os interesses econômicos já começaram a se manifestar, com declarações veementemente contrárias à lei por parte das grandes redes exibidoras.
É sobre essa lei que busca agora voltar à pauta e sobre a polêmica gerada em torno dela de que trato no artigo recém-publicado na Cinética.
Leia o artigo em:

6 Comments:

Anonymous Milton do Prado said...

Gostei bastante do artigo na Cinética. Olha, talvez ninguém na ABD tenha conseguido sintetizar tão bem a importância da exibição do curta como tu fez aqui.

6/9/06 12:20  
Blogger Leonardo Mecchi said...

Valeu Milton! É uma luta inglória essa, mas acho que é fundamental encampá-la.

7/9/06 14:24  
Anonymous Filipe said...

Também achei mito bom, alias as suas colaborações para esta atualização da Cinética estavam excelentes.

7/9/06 19:24  
Blogger Leonardo Mecchi said...

Valeu Filipe! A Cinética está dando gosto de ver. O pessoal é muito bom e o tesão de todos com a revista é contagiante...

8/9/06 08:47  
Blogger Marcelo Laffitte said...

Leonardo,
Li seu texto na Cinética e gostei muito. Inclusive, fiz uma divulgação na lista Abdistas e espero que a turma o leia.
É fundamental que esse debate vá para a sociedade imediatamente, mesmo que isso signifique uma dura guerra contra os preconceitos e a dominação ideológica.
Não vai demorar muito, os menestréis da corte platinada vão nos atacar de retrógados, ditadores, stalinistas e outros adjetivos semelhantes.
Mas a luta continua, companheiro.

17/9/06 01:30  
Blogger Leonardo Mecchi said...

Laffitte,

Vi seu email na Abdistas. Agradeço a divulgação.

Como toda iniciativa que pretende mudar o status quo, também essa irá sofrer sérias represárias. Temos que estar preparados com bons argumentos e muita disposição para lutar.

Abraços!

18/9/06 13:48  

Postar um comentário

<< Home